Setembro Amarelo e os suicídios na Medicina
setembro_amarelo_interna

13/09/2018 - Setembro Amarelo: Depressão e outras doenças em estudantes de Medicina têm gerado consequências graves e até suicídio. Precisamos falar do assunto!

 

Estamos no Setembro Amarelo, mês mundial de combate ao suicídio, o que nos leva a falar de algo muito importante: as mortes de estudantes de Medicina. Essa triste situação é cada vez mais recorrente no Brasil. Uma pesquisa feita pela USP em 2017, mostrou que em torno de 41% dos acadêmicos da área no país sofrem de depressão, um dos principais motivadores do suicídio.

As causas são diversas: pressão pessoal e dos professores, responsabilidade de lidar com vidas, aulas integrais com conteúdos pesados, exigência de bons resultados - fazendo com que muitos tenham que virar a noite fazendo trabalho - e até assédio moral de docentes. Tudo isso causa depressão, insegurança, problemas físicos e emocionais aos alunos -inclusive nos vestibulandos que estão na luta para entrar. Por isso, a preparação psicológica e emocional é tão importante quanto a intelectual.

 

 

ALUNOS SE UNEM pela saúde mental

Esses casos tem se tornado tão fortes que alunos da Famed da UFRGS, uma das principais universidades do Brasil, criaram uma página no Facebook para denunciar casos de assédio moral de professores. A página chamada Previamente Hígido mostra relatos de ansiedade, depressão e tentativas de suicídio por parte dos alunos. A universidade tem um Núcleo de Apoio ao Aluno (NAA), que oferece apoio psicológico aos estudantes. Segundo a diretora da FAMED, 80 alunos procuraram o NAA nos últimos 3 anos.

 

MINAS EM ALERTA

Os casos também são graves em Minas Gerais. O “Rolo compressor da UFMG” - como os estudantes chamam a universidade por causa da exigência e pressão - tem causado problemas psicológicos nos alunos, gerando também casos de suicídio. Segundo os alunos, muitos deles passam as noites estudando por conta da quantidade de conteúdos. Para aguentar o ritmo, eles tomam muito café, energético e antidepressivo, além de remédio para dormir.

A Faminas, uma universidade particular do Estado, também enfrentou casos de suicídio de acadêmicos de Medicina nos últimos tempos. Foram 3 ocorrências em 4 meses - entre Novembro de 2017 e Fevereiro de 2018.

 

 

POR QUE NA MEDICINA?

Os casos de problemas psicológicos são mais comuns em cursos mais exigentes, como Engenharia e Medicina. Isso porque são áreas de muita pressão. Um fato recorrente é que, quem faz Medicina, muitas das vezes sonha desde sempre com o curso e acaba se frustrando após entrar na universidade devido às cobranças, responsabilidades, dificuldade das matérias e etc.

A carga emocional é enorme devido a idade e aos acontecimentos na vida dos estudantes - muitos mudam de cidade, saem da casa dos pais, tem que lidar com a pressão da família. A partir do 4º ano, quando o Internato e a Residência estão próximos, isso tende a piorar. É o momento em que os alunos estão se preparando para as provas e que estão o tempo todo lidando com pacientes. São diversos plantões e poucas horas de descanso.

Se você quer mesmo ser um bom profissional, não desista! Por mais difícil que seja, todo o esforço valerá a pena. Vidas precisam ser salvas e é para isso que você está se empenhando. Pense nisso!

 

COMO SE PREVENIR

Hoje em dia, alertas como o Setembro Amarelo tem viralizado e feito a população se ligar mais nos casos de depressão e suicídio. Existem vários testes e dicas para você saber se está com algum sintoma de depressão, mas o principal é: procure um psicólogo ou um psiquiatra! Não é vergonha nenhuma se consultar com um especialista para tratar da sua saúde mental.

É sempre recomendável que estudantes de Medicina passem por um tratamento psicológico devido a dificuldade do curso. Afinal, ninguém dá conta de tudo e, assim, você estará mais preparado para lidar com as dificuldades da vida e da carreira. Não deixe nada te derrubar, a Medicina precisa de você!

 

Principais sintomas psicológicos e físicos da depressão:

 

Caso precise de ajuda, ligue para o Centro de Valorização da Vida (CVV), pelo telefone 188. Ele é destinado a atender qualquer pessoa que esteja com problemas e funciona como prevenção ao suicídio. É totalmente de graça!

 

 

APOIE O SETEMBRO AMARELO!

Nós, do Soul Medicina, estendemos as mãos aos estudantes de Medicina. Estamos juntos nessa caminhada e na torcida para que dê tudo certo na sua carreira! Você conhece algum caso de depressão ou suicídio na área? Já passou por algum problema? Conte para a gente nos comentários!

 

 

comaprtilhar 0 0 603
CONTEÚDO EXCLUSIVO GRATUITO