As mudanças do Novo Revalida

- Saiba como é o processo de revalidação do diploma médico no Brasil e o que vai mudar para as próximas edições do Revalida.

Para quem faz Medicina no exterior e quer voltar para a pátria amada, a inscrição no Revalida é obrigatória para poder atuar profissionalmente no Brasil. Embora o exame esteja paralisado desde sua edição de 2017, a intenção do Ministério da Educação (MEC) é retomar e ampliar o projeto do Inep para que mais médicos formados fora do país possam trabalhar por aqui. Saiba o que é que está acontecendo com o Revalida e o que mudou em 2019 para as próximas edições.

 

O QUE É O REVALIDA E SEU SIGNIFICADO NA MEDICINA

O programa criado em 2011 pelo Inep surgiu para centralizar o processo de validação de diplomas de Medicina no Brasil. Tanto brasileiros quanto estrangeiros formados fora do país são obrigados a fazer o Revalida para conseguirem trabalhar em Medicina por aqui. 

Primeiro, o candidato deve passar por uma prova teórica com questões objetivas e discursivas. Em seguida, há uma prova prática de habilidades médicas com bonecos e atores para simularem situações cotidianas. Só depois de receber a aprovação em ambos os testes é que o participante pode revalidar seu diploma em uma universidade pública.

 

1) Prova teórica:

  • 110 questões de múltipla escolha;

  • 5 questões discursivas;

  • Conteúdo que inclui: Clínica Médica, Cirurgia e Medicina da Família e Comunitária/Saúde Pública

2) Prova prática:

  • Avaliação da habilidade de comunicação, raciocínio clínico e tomada de decisões;

  • Conteúdo que inclui:Ginecologia e Obstetrícia, Pediatria e Medicina da Família e Comunitária/Saúde Pública.

3) Validação do diploma

  • Encaminhar seu diploma para revalidação em uma universidade pública;

  • Possível exigência de formação complementar.

4) Inscrição no Conselho Regional de Medicina

  • Conseguir sua habilitação como médico no Brasil.

a falta de obrigatoriedade do revalida para o programa MAIS MÉDICOS

Embora o Revalida sirva para assegurar que os médicos formados no exterior tenham a devida qualificação, muitos profissionais estrangeiros optam por atuar no país por meio do programa Mais Médicos que não exige tal processo. Com isso, o atual governo estuda mudar a admissão de médicos estrangeiros fazendo-os passar também pelo Revalida.

 

O REVALIDA DE 2017, 2018 e 2019

Desde 2011, a quantidade de participantes só crescia. Com isso, o exame engasgou com a alta demanda de inscrições durante sua sétima edição. O programa entrou em crise em 2017, quando recebeu 1.337 ações judiciais de candidatos que tiveram a inscrição negada pela falta de entrega dos documentos no prazo determinado. Devido a demora do trâmite burocrático entre os candidatos e suas respectivas universidades estrangeiras, muitos foram obrigados a recorrer na justiça pelo direito de participar da prova, mesmo sem a certificação em mãos a tempo.

Assim, o contratempo burocrático foi atrasando a prova de 2017 para novembro de 2018. Por isso, e por problemas técnicos na aplicação do exame em Brasília, o resultado do Revalida 2017 só saiu em 2019.

Somente 5,27% dos 7.379 participantes conseguiram passar nas duas provas. Na primeira fase, apenas 963 foram aprovados, destes, só 941 fizeram o exame prático. Ao final, apenas 389 médicos conseguiram validar seus diplomas para exercer Medicina no Brasil. De acordo com a reportagem do G1, somente 5 a cada 100 médicos interessados conseguiram as notas exigidas.

AS MUDANÇAS PARA O NOVO REVALIDA

Segundo a declaração do MEC, o Revalida terá duas edições por ano e o candidato poderá fazer a prova prática mais de uma vez. Embora o currículo e a aplicação dos exames continue igual, o aluno que reprovar a segunda fase poderá fazê-la mais duas vezes nas edições seguintes do Revalida. Além disso ele não precisará passar novamente pela prova teórica.

O exame também não será mais organizado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) — que também organiza o Enem. Agora, o Novo Revalida está sob a responsabilidade da Secretaria de Educação Superior (SESu) com auxílio do Conselho Federal de Medicina (CFM). 

Depois do péssimo resultado da sétima edição, o exame também terá novos parâmetros de avaliação. Quem elabora são representantes: do MEC; do Inep; do Conselho Federal de Medicina (CFM); da Secretaria de Educação e Gestão do Trabalho (SGETS/MS); da Associação Médica Brasileira; e da Academia Nacional de Medicina.

A portaria do MEC que instaura o Novo Revalida ainda não foi publicada, mas espera-se que saia ainda em 2019, bem como o próximo edital do programa.

 

TORCEMOS PARA QUE MELHORE

O Brasil precisa de mais médicos para atender a demanda nacional, mas também não devemos nos contentar com profissionais mal qualificados. Se conhece alguém que terá que passar pelo processo, apresente a ele o curso preparatório do MEDGRUPO para o Revalida.

O que você acha do Revalida? O que achou das mudanças? Conhece alguém que já passou pelo exame ou que ainda vai passar? Mostre essa matéria para ele! 

 

comaprtilhar 7 0 0 4084
CONTEÚDO EXCLUSIVO GRATUITO