Veja o que mudou na Residência de Cirurgia Geral
residência_cirurgia_interna

17/09/2018 - A especialização em Cirurgia se dividirá em duas a partir de 2019. Conheça as mudanças, como vai funcionar e onde fazer residência em cirurgia geral.

Entrará em vigor, a partir de 2019, as mudanças na especialização em Cirurgia Geral. A área foi dividida em duas: Área Cirúrgica Básica (2 anos) e Programa de Cirurgia Geral (3 anos). Essa alteração vem sendo discutida desde 2000 e foi um pedido inicial do Colégio Brasileiro de Cirurgiões (CBC). Segundo o MEC, o tempo de RM vai aumentar por conta da complexidade da área. As mudanças só atingem os editais para 2019. Quem já está fazendo, seguirá o cronograma do programa atual

Com a medida, quem quer fazer a especialidade como pré-requisito para outras áreas cirúrgicas, deverá fazer RM em Área Cirúrgica Básica (2 anos). Já quem quer se tornar especialista em cirurgia geral, fará o Programa de Cirurgia Geral (3 anos). Os que fizerem a de 2 anos ganharão um certificado de competência, mas não serão considerados especialistas - apenas quando terminar a sub-especialidade.

Um detalhe importante é que - quem fizer o programa de 3 anos - também pode seguir para uma outra especialidade cirúrgica.

O Brasil era o único país que exigia 2 anos de formação na área. Essa mudança segue a tendência de outros países em todo o mundo, mas ainda sim poucos programas são de 3 anos. Na Europa, por exemplo, o tempo de residência dura no mínimo 4 anos.

MUDANÇAS NA INSCRIÇÃO

A inscrição deve ser específica e os editais terão que definir quantas vagas serão abertas para cada programa. Para isso, as instituições vão se auto-avaliar para saber quais as condições que elas têm de receber as duas residências. Vale ressaltar que haverá bolsas para os dois programas e a prova de acesso pode ser a mesma para as duas áreas.

Outra informação importante é: quem escolheu fazer a residência de 3 anos, PODE fazer prova para outra especialidade cirúrgica ao término do 2º ano. Com isso, se você estiver com dúvida ou descobrir uma paixão por outra área durante a residência, pode mudar!

Agora, se você escolheu fazer a residência de pré-requisito e quiser fazer mais um ano para se tornar especialista, poderá fazer uma prova para continuar - isso se houver vagas disponíveis.

Quem optar por 2 anos ganhará uma certificação como cumprimento de área cirúrgica básica e, por lei, poderá fazer, sem supervisão, os procedimentos contidos na respectivas competências para dois anos!  Acesse a matriz de competências das Residências em Cirurgia. Para saber quais hospitais estão ofertando vagas para os programas novos, acesse este link.

Confira também essas últimas mudanças:

 

MÉDICOS NO SERVIÇO MILITAR OBRIGATÓRIO

O médico que está cumprindo o serviço militar obrigatório e que assegurou a vaga na especialidade em 2018, poderá escolher qual caminho seguir: fazer como pré-requisito ou completo. Mesmo se decidir pelo programa de pré-requisito, ganhará o título de especialista ao término da residência. Para isso, deve enviar a COREME em Janeiro sua escolha para ficar registrada. O mesmo vale para homens e mulheres que se alistaram por conta própria.  

Se for do seu interesse, confira como ser um Médico Militar ou um Médico especificamente da Marinha!

 

CONCLUSÃO

Se você quer ser formar realmente como um cirurgião geral, inscreva-se no Programa de Cirurgia Geral (3 anos). Se almeja se especializar em outras áreas da cirurgia, faça o programa de Área Cirúrgica Básica (2 anos). Para ambos, você pode contar com a ajuda do MEDGRUPO.
 

CURTIU AS MUDANÇAS?

Comente pra gente o que você achou da medida e se acha que ela vai te beneficiar! Se ficou com alguma dúvida, fale também!

 

comaprtilhar 12 7 0 7728
CONTEÚDO EXCLUSIVO GRATUITO