Mudanças na residência de Pediatria e Neurologia
residencia_pediatria_neurologia_interna

20/09/2018 - O tempo de formação das residências de Pediatria e Neurologia vai sofrer alterações em 2019 e você não pode perder esse guia completo. Saiba tudo aqui!

Os programas de residência médica estão passando por mudanças no Brasil. É o caso de Pediatria e Neurologia, que ganharão mais um ano obrigatório de residência a partir de 2019. O mesmo acontece com a área de Cirurgia Cardiovascular, que em 2018 se tornou de acesso direto e teve seu tempo de duração aumentado de 4 para 5 anos. Todos os programas dessas 3 especialidades - que lançarem os editais para 2019 em diante - terão que se adaptar a nova legislação. Quem iniciou a residência antes de 2019, não será afetado.

No caso da Pediatria, algumas instituições já serviram de “teste” para essa mudança, que foi baseada no Currículo Pediátrico Global do Global Pediatric Education Consortium (GPEC). Com essa alteração, 30% das atividades serão feitas em ações básicas de saúde. Veja como vai ficar o novo currículo de Pediatria.

Já na Neurologia, o aumento do tempo de residência foi aprovado em 2018. O pedido foi encaminhado pela Sociedade Brasileira de Neurologia em 2017 e discutido ao longo dos meses. Como é uma mudança mais recente, ainda não tem muitas informações sobre como será o quarto ano da residência. Conheça cada uma das possíveis especialidades.

 

OUTRAS MUDANÇAS

A Cirurgia Cardiovascular, uma das principais áreas médicas, teve suas mudanças aprovadas em 2017. Ela é de acesso direto e durará 5 anos. A reestruturação foi um pedido da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular, que queria um ajuste no treinamento dos residentes. Segundo a SBCCV, a evolução da área tornou o pré-requisito em Cirurgia Geral desnecessário. Ela preparou 6 itens para justificar a medida.

 
  1. O Programa de Cirurgia Geral, a partir de 2019 terá a duração de três anos.

  2. Havia uma grande evasão de candidatos à Cirurgia Cardiovascular após cursar os dois anos de Cirurgia Geral.

  3. Há a necessidade de se aprender novas competências e isto exige tempo.

  4. Vários estudos demonstram que com a diminuição da procura pela especialidade, haverá falta de cirurgiões cardiovasculares nos próximos dez anos, sendo este o principal fator desencorajador.

  5. As habilidades aprendidas em Cirurgia Geral também podem ser adquiridas com o treinamento direto em Cirurgia Cardiovascular.

  6. Cirurgiões treinados com (CNRM) ou sem (SBCCV) o pré-requisito em Cirurgia Geral têm igual desempenho quando oriundos de Serviços de excelência.

 

Veja a nova matriz curricular da área

 

MAIS NOVIDADES

Essa reestruturação no currículo das especialidades visa otimizar as habilidades e a formação do médico e é uma tendência atual no Brasil. A previsão é que a residência em Clínica Médica tenha mais um ano - dessa forma, seguiria as mudanças das outras área básicas que são G.O, Pediatria e Cirurgia Geral. Outros programas também podem ter alterações aprovadas nos próximos meses.

Uma outra mudança importante que pode acontecer em breve é a obrigatoriedade de se fazer residência em Medicina da Família como pré-requisito. Ela daria acesso a todas as áreas que não são de acesso direto, mas a aprovação dessa medida ainda não é certa.

Confira essas outras mudanças:

 

CURTIU AS NOVIDADES?

Caso tenha restado alguma dúvida, diga nos comentários! Fique ligado no Soul Medicina que traremos mais novidades em breve!

 
comaprtilhar 1 0 0 3634
CONTEÚDO EXCLUSIVO GRATUITO