Como fazer intercâmbio durante a faculdade de Medicina?
intercambio_medicina_interna

04/01/2019 - IFMSA e CLEV são opções de Intercâmbio na Faculdade de Medicina para estudar no Canadá, EUA, Coréia do Sul, e inúmeros outros países. Confira os detalhes!

Estudar fora em lugares como Estados Unidos, Alemanha, França, Austrália, entre outros, é um sonho de estudantes de vários cursos e, com os de Medicina, não é diferente. A prática médica no exterior traz um grande aprendizado ao intercambista, que adquire uma experiência enorme por vários motivos: estudar com pessoas de todo o mundo, aprender em um sistema de saúde diferente, ter aulas com professores com didáticas novas, entre outras coisas. Mas quais seriam os meios para realizar esse sonho? Veja como fazer intercâmbio de Medicina no exterior. 

Ou, caso você ainda vá ingressar numa faculdade, já pensou em fazer toda a graduação de Medicina no exterior? É possível. Se liga nessas histórias de quem foi nessa onda.

IFMSA BRASIL

Um dos mais conhecidos programas de intercâmbio é o da IFMSA (International Federation of Medical Students Association). Ela é uma organização criada por estudantes de Medicina que reúne 1,3 milhões de acadêmicos em mais de 130 países. No Brasil, está presente em 23 estados e mais de 2 mil estudantes fazem parte.

Como funciona o Intercâmbio na IFMSA?

O intercâmbio pela IFMSA dura um mês. Ele pode ser relacionado à pesquisa e a atividades clínicas. Durante o período, os estudantes de Medicina atuam em um hospital e em programas sociais. Para participar é necessário acumular pontos com participações em atividades extracurriculares, como Ligas Acadêmicas, projetos de pesquisa, atlética e etc. Esses pontos dão prioridade na escolha de países e hospitais. Também é necessário saber falar inglês.

Se contemplado, o intercambista seleciona as especialidades que mais gosta. Com base no currículo, a IFMSA escolhe a área médica que o intercambista irá rodar durante o período. Conheça a lista de países e o regulamento do programa.

Os estudantes só arcam com as passagens aéreas. Hospedagem e alimentação estão inclusas no programa. Eles também tem um tutor durante todo o período. Os alunos Pedro e Talitha, da UFJF, contam como conseguiram fazer intercâmbio na Hungria e na Rússia, respectivamente, através da IFMSA.

 

 

DENEM / CLEV

A DENEM (Direção Executiva Nacional dos Estudantes de Medicina) foi fundada em 1986, em Fortaleza-CE. Ela é uma entidade representativa dos estudantes de Medicina do Brasil. O processo de intercâmbio pela Denem tem duração de um mês. 

O programa funciona da seguinte forma: quanto mais intercambistas a faculdade recebe, mais pontos ganha para enviar alunos a outros países. Para participar, o aluno precisa ter feito atividades extracurriculares durante o curso (monitoria, pesquisa, LIGA, entre outras). A seleção é feita a partir da pontuação de cada aluno, ou seja, quanto melhor o currículo, mais chances você tem de participar.

A CLEV, junto aos diretórios acadêmicos, funciona como contato direto dos estudantes de Medicina com a DENEM e é responsável pela coordenação do processo de seleção, realizada através de um edital referente ao estágio escolhido, dos estudantes dentro da instituição. São 88 países fazendo parte do programa.

Os estágios oferecidos são:

  • Estágio Nacional;

  • Núcleo Brasil-Cuba;

  • Estágio Internacional vinculado a IFMSA;

  • GAP (Projeto de Ação Global, formado pela DENEM, IFMSA-PERU e a ANEMF – Federação dos Estudantes da França).

O intercambista deve pagar uma taxa para o DENEM, que varia de acordo com o país. As nações anfitriãs recebem os estudantes de Medicina com moradia e alimentação. Veja os editais do programa.

 

 

Juliana Ribeiro conta sua experiência como intercambistas pelo Denem na Rússia

 

CONVÊNIO ENTRE FACULDADES

Outra forma de fazer intercâmbio é através de convênio entre faculdades de Medicina. Um exemplo disso é a USP, que tem um convênio com a Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, uma das mais prestigiadas no mundo. O período é mais longo, tem duração de um ano. 

As vagas são bastantes concorridas. Os diretores da faculdade de Medicina de Harvard vêm ao Brasil analisar o currículo dos candidatos e escolhem os melhores. No caso desse intercâmbio, os alunos precisam arcar com todas as despesas. O estudante Fabio Yuji nos conta como é essa seleção.

 

 

SANTANDER MUNDI

O Santander Mundi é um novo programa de intercâmbio do banco. Na primeira edição, 100 bolsas de 4 mil euros serão concedidas para estudantes fazerem um estágio de até 6 meses em um dos 20 países em que o Santander está presente. As 100 bolsas não são apenas para estudantes de Medicina. 

Para participar, o aluno precisa preencher um formulário no site do banco. Os critérios de seleção são definidos pela universidade que o aluno está matriculado e a que ela deseja ser intercambista. 

SANTANDER IBERO-AMERICANAS

Esse programa do banco é mais conhecido. São 8 edições e mais de 1.000 estudantes contemplados. As bolsa-auxílios do Ibero-Americanas são de 3 mil euros e o período de estágio é de, no máximo, um semestre. Ele pode ser realizado em um dos 9 países da região da Ibero-América: Argentina, Colômbia, Chile, Espanha, Peru, Porto Rico, Portugal, México e Uruguai.

O banco atua como financiador. A faculdade do aluno no Brasil e que ele fará o intercâmbio que entram em um acordo sobre o que é necessário para a realização do estágio. A bolsa auxílio é para cobrir os gastos com hospedagem, transporte e alimentação. 

Assim como o Santander Mundi, para participar, o aluno precisa saber se sua universidade participa do programa e preencher o formulário no site do banco. Os critérios de seleção são definidos pela instituição que o estudante está matriculado. 

 

PARTIU?!

E aí, para qual país você pretende ir? Se já fez intercâmbio, como foi sua experiência? Conte para a gente e compartilhe a matéria com seus amigos!

 
 
comaprtilhar 4 0 0 5237
CONTEÚDO EXCLUSIVO GRATUITO