Telemedicina: a Medicina do futuro e do agora

- Saiba como a Telemedicina atua no Brasil e quais são seus impactos na Medicina.

Ao contrário do que muitos pensam, a Telemedicina não está ligada exclusivamente à Medicina do futuro. Atualmente vivemos no Brasil uma realidade já próxima à dos filmes de ficção científica (Nanotecnologia, robótica e inteligência artificial). Estes avanços tecnológicos revolucionaram o mundo, principalmente a área Médica, impactando na relação médico-paciente.

 

O QUE É TELEMEDICINA E COMO ELA FUNCIONA NO BRASIL

A Telemedicina é definida pela resolução do CFM como o exercício da Medicina mediado por tecnologias para fins de assistência, educação, pesquisa, prevenção de doenças e de lesões e promoção da saúde. 


Nos tempos atuais, a Telemedicina é a ferramenta com maior potencial para agregar novas soluções em saúde. Da mesma forma que o Brasil implantou o Programa “Mais Médicos”, a nova tecnologia visa, primordialmente, suprir a falta de médicos nas regiões carentes do País, levando atendimento à toda população com profissionais de qualidade.  

 

O QUE É TELEMEDICINA E COMO ELA FUNCIONA NO BRASIL

Os hospitais do Brasil já fazem tomografias computadorizadas, permitindo analisar detalhes do corpo e ajudar no diagnóstico de doenças como AVC de forma mais rápida e precisa

Já os mais avançados centros de saúde do mundo utilizam nanotecnologia, robótica e inteligência artificial em suas rotinas dentro dos consultórios, responsáveis por filtrar o grande volume de informações e entregar aos médicos dados mais claros.  

Quem também deve ganhar mais espaço são os aplicativos. Além do benefício do monitoramento, eles vão oferecer, cada vez mais, praticidade. Por meio das conexões em alta qualidade já saberão da situação do paciente em tempo real.

 

modalidades da telemedicina

Em 2019, o CFM nomeou rótulos às várias modalidades de tratativas médicas a distância, por meio da resolução CFM 2.227/18. Confira abaixo a lista completa:

  • Telediagnóstico: emissão de laudo ou parecer de exames, com envio de imagens e dados pela internet;

  • Teleinterconsulta: troca de informações e opiniões entre médicos, com ou sem a presença do paciente;

  • Telecirurgia: procedimento feito por robô, manipulado por um médico que está em outro local;

  • Teleconferência: grupo de médicos que se reúne para receber e debater sobre imagens, dados e áudios;

  • Teletriagem: avaliação a distância de sintomas para direcionar o paciente ao tipo de assistência necessária;

  • Teleorientação: declaração para contratação ou adesão a plano de saúde;

  • Teleconsultoria: troca de informações entre médicos e gestores sobre procedimentos de saúde;

  • Telemonitoramento: avaliação da saúde do paciente, evitando ida ao pronto-socorro ou casa de repouso.

 

DEBATE ENTRE CFM E MÉDICOS SOBRE A TELEMEDICINA

O debate ganhou mais força depois que a polêmica resolução CFM foi publicada em 6 de fevereiro. O documento que determina o que é a Telemedicina e de que forma ela poderia ser exercida no país, não foi bem recebida pelos conselhos regionais de Medicina (CRMs), que apontaram vários problemas no documento. Dentre as críticas:

1) O fato do médico poder atender o paciente a distância, ainda que em situações excepcionais, causou alvoroço na comunidade médica, por receio de incorrer em possível erro por não realizar exame clínico direto no paciente, não assistindo da melhor maneira;

2) Mercantilizar a Medicina por meio dessa tecnologia, já que ofertaria acesso fácil e rápido a médicos disponíveis pela internet para atender pacientes potenciais, sucateando a profissão, como se fosse um serviço de atendimento telefônico qualquer;

3) O risco de poder ocorrer vazamento de informações do paciente, incluindo imagens do seu corpo, já que a consulta a distância seria inteiramente gravada, por determinação da própria resolução; e

4) A tecnologia como uma elitização da Medicina, inviável de ser implementada num país como o Brasil, que sequer possui cobertura integral e de qualidade de internet em todo o seu território.

 

Por essas e outras reações, o CFM preferiu abortar, por ora, essa novel legislação.

 

TECNOLOGIA COMO SOLUÇÃO PARA O ATENDIMENTO MÉDICO

Como vimos anteriormente, a tecnologia pode contribuir muito para o atendimento na área da saúde. Contudo, para usar as ferramentas da maneira correta e eficaz, é importante que os médicos busquem por capacitação digital através de cursos e mantenham-se sempre atualizados.

Eaí, você é a favor ou contra a Telemedicina no Brasil? Concorda com a Decisão do CFM? Deixe sua opinião nos comentários!

 

comaprtilhar 1 0 0 96
CONTEÚDO EXCLUSIVO GRATUITO